segunda-feira, 13 de julho de 2015

Tawba

Três anos e quatro meses. 34. Eu fico observando essa faixa do lado direito e imaginando se aqueles links todos ainda podem nos levar a algum lugar interessante, a alguma descoberta, tanto quanto há três anos.

O mundo passou pela minha frente. E hoje, sentada ao redor de uma mesa de mosaico, comendo bolo de limão e tomando suco de manga, ao lado de uma companhia esplêndida, percebo que talvez eu não tenha sida tão boa menina assim. Talvez muitos dias tenham sido desperdiçados, palavras pudessem ter sido evitadas, mais abraços pudessem ter existido e algumas bocas famintas tivessem sido saciadas no lugar de quilos e quilos de alimentos no lixo. Uma dieta indigesta. Esperanças projetadas para o futuro, futuro que nunca virou presente, presente que não legou nada ao passado, exceto a saudade.